Compartilhe

Texto de Camilo Terranova, novembro 2020

O biogás é uma fonte flexível de energia renovável e seu uso pressupõe a transformação da energia química nele presente. Pode ser usado para produzir energia térmica (combustão), energia elétrica e térmica (cogeração), combustível veicular ou ser injetado na rede de gás natural e assim servir a qualquer um dos usos citados, desde que atenda às exigências de qualidade de gás para cada uso pretendido, conforme regulamentações da ANP.

Com relação aos usos citados, deve-se diferenciar a utilização de biogás e de biometano. O biogás pode ser utilizado para a produção de energia elétrica e energia térmica (aquecer, secar, resfriar), após remoção das principais impurezas, como umidade e sulfeto de hidrogênio (H2S), presentes neste.

O biometano, por sua vez, é resultante do enriquecimento ou beneficiamento do biogás, que consiste na remoção de dióxido de carbono (CO2) e de outros componentes traço ainda presentes no biogás e aumento do seu poder calorífico. Pode ser utilizado como substituto do gás natural veicular (GNV), após compressão e posterior armazenamento, desde que atendidas as exigências de qualidade do órgão regulador competente.

 O biometano, ou gás natural renovável, é considerado um gás renovável mais nobre que o biogás, portanto, podendo tornar-se um recurso despachável com a aplicação de técnicas de armazenamento e ser utilizado a qualquer tempo ou lugar, onde for necessário seu uso, seja como gás para geração de energia, calor ou combustível veicular.

A partir do biometano também é possível, por meio de beneficiamento posterior, produzir e obter hidrogênio, que neste caso, também será renovável e é visto por muitos como o combustível do futuro, pois tem a capacidade de substituir todos os combustíveis fósseis sem emissões de GEE.

Camilo Terranova

A importância para os ODS

Além de gerar energia renovável que pode substituir qualquer combustível fóssil, dependendo da origem do biogás, sua importância pode ser ainda maior em termos do alcance dos objetivos do desenvolvimento sustentável.

Por ser resultante, na maioria dos casos, da biodigestão de resíduos orgânicos, como lixo, fezes de animais, lodo de esgoto, efluentes industriais e lixo doméstico, o processo de obtenção do biogás traz também vantagens para outros setores econômicos, além de mitigar a necessidade de aterros sanitários ou outras áreas de destinação final de resíduos.

Biogases oriundos de resíduos, processadas dentro do conceito de economia circular, reduzem a área para destinação final de resíduos, atuando na prevenção de poluição de aquíferos e geram novos produtos para a economia, como o BioCDR e ou biofertilizante.

Biogases oriundos de tratamento de efluentes, de tratamento de esgotos, aterros sanitários, tratamento de dejetos de animais evitam a contaminação de solos, previnem a poluição de corpos hídricos, apoiam na preservação de habitas e, logo biodiversidade, além de substituírem combustíveis fósseis. Retornam resíduos, no conceito de economia circular, como produtos e insumos energéticos, reduzindo desperdícios e distribuindo renda no processo, que envolve a separação, reciclagem e uso energético.

A despeito destes vastos benefícios, o fato do metano, contido no biogás, ser um Poluente Climático de Vida Curta (Short-lived climate pollutant – SLCP) torna-o, do ponto de vista de uma política de mitigação de GEE, extremamente importante, ppois no curto prazo o impacto climático deste gás é 72 vezes maior que o CO2.

Ainda, a construção de aterros sanitários e aumento de cobertura de coleta, assim como a universalização de saneamento, levarão ao aumento de emissões de GEE de setor de resíduos. Dessa maneira, estratégias de minimização de resíduos, reutilização, eco design, entre outras, tipicamente associadas a economia circular tem um papel crucial também no combate às mudanças climáticas e devem ser vistas como complementares ao aproveitamento energético discutido.

Camilo Terranova é Co-fundador e atual conselheiro da Impacto Energia S.A e estará no ODS Talks ABRAPS 2020 convidado de nosso Grupo de Trabalho Orgânicos no dia 25/11, das 10:00 às 11:30h. Confira a programação completa e inscreva-se em www.odstalks.com.br

As opiniões contidas neste texto são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, as opiniões e posicionamentos da ABRAPS

Introdução: Biogás ou Biometano?

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *