Compartilhe

Carta aberta da Diretoria ABRAPS

A ABRAPS – Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável – que tem como missão conectar profissionais diversos na promoção do desenvolvimento sustentável nas organizações e sociedade, assim como em diversas outras instituições, está acompanhando de forma atenta e indignada os últimos acontecimentos ocorridos em uma das lojas do Carrefour de Porto Alegre, da mesma forma que também já tem ciência de que muitos dos nossos associados já estão atuando em frentes diferentes sobre o tema.
Infelizmente, no último dia 19 de novembro de 2020, e as vésperas do Dia Nacional da Consciência Negra, o Brasil e o mundo presenciaram o triste e lamentável episódio que vitimou João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, homem negro que morreu após violência sofrida pelos seguranças brancos da loja do empreendimento. Evento, este, que infelizmente reforça e materializa de forma brutal o racismo não só estrutural, mas também com seus efeitos práticos, que ainda padece sob claros holofotes de uma negação conveniente e míope da nossa sociedade.
Diante deste ocorrido, rapidamente é fácil concluir o quanto ainda seguimos afastados dos avanços necessários sobre as metas estabelecidas no ODS 10 – Redução das Desigualdades, da Agenda 2030. Metas estas, necessárias para que possamos avançar no reconhecimento e preservação dos direitos e princípios da dignidade humana, uma vez que o preconceito e a exclusão são berço das desigualdades e consequentemente, arrebatam consigo a violência, a insegurança e os precários níveis de desenvolvimento sociais e econômicos que presenciamos em diferentes nações, entre estas o nosso Brasil.
Portanto, sim, também estamos indignados com os fatos e também repudiamos todos os atos de preconceito ainda vivenciados por muitos em razão da sua cor, raça, orientação sexual, identidade de gênero, gênero, origem, compleição física, etc. sem perder de vista este momento, onde os fatos recentes se colocam em maior evidência e gritam sobre o racismo e as questões raciais.
Desta forma, em nossa visão, desejamos ir além do repúdio e, portanto, nos valer desta nota para reforçar a importância do engajamento dos profissionais associados tendo como base das suas agendas os 17 ODS, para que, diante dos fatos, possam se apoiar também nas diretrizes dos ODS 16 (Paz, Justiça e Instituições Eficazes) e 17 (Parceiras e Meios de Implementação), visando quebrar a inércia e avançarmos para além manifestações de tristeza, repúdio e outras pertinentes a situação.
Nosso maior desejo e compromisso diante do lamentável fato é que possamos fazer desta importante rede de profissionais, composta a partir da ABRAPS, um espaço de conexão, trocas e ações. Desejamos ser instrumento de apoio no avanço de todos os ODS, mas, neste momento, precisamos chamar a atenção de todos os nossos associados e colocar em evidência o ODS 10, que “coincidentemente” é hoje um dos que apresenta o menor nível de maturidade em termos de evolução da mensuração de resultados das metas estabelecidas na comparação com os demais.
Lembrando que já estamos na última década do tempo proposto para o cumprimento das metas dos 17 ODS e, novamente, o triste e lamentável episódio com o João de Freitas nos faz lembrar que precisamos nos empenhar ainda mais para que este caso não seja apenas mais um exemplo negativo, mas sim um ponto final e uma chamada para a ação dos profissionais da área e da nossa sociedade, assim como exigir que as organizações empresariais, seus investidores e dirigentes, reconheçam o papel de suas organizações como agentes econômicos e sociais e, desta forma, tenham mais consciência, ação e responsabilidade pelos impactos dos seus negócios na sociedade.

Diretoria ABRAPS

Consciência, responsabilidade e diversidade

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *